Arquivos Mensais: janeiro 2019

//janeiro

Doença coronária: o que acontece quando as artérias são bloqueadas

Você está num dia normal, vivendo a sua vida, quando começa a sentir cansaço ao realizar pequenos esforços que normalmente não te afetariam. Além disso, aos poucos, vem a sensação de falta de ar, tontura, suor frio e vontade de vomitar. Esses sintomas podem indicar uma coisa preocupante: doença coronária.

As artérias coronárias transportam sangue com oxigênio para o coração, fazendo com que o órgão bata saudável e cheio de energia. Quando obstruídas, causam muitos problemas, como a diminuição da funcionalidade do coração, que também é responsável por outros órgãos.

Agora, você deve estar se perguntando: por que essa obstrução acontece? Bem, geralmente ela é causada por acúmulo de gordura nas artérias. Esses depósitos são formados pelo colesterol, cálcio e outras substâncias no sangue. Depósitos de placas de gordura podem bloquear as artérias coronárias e deixá-las rígidas e irregulares. Isso é denominado “endurecimento das artérias”. Esses depósitos estreitam essas artérias, fazendo com que o coração receba menos sangue e oxigênio, podendo causar, além dos sintomas listados acima, dores no peito (angina). Um bloqueio total pode causar até mesmo um ataque cardíaco ou infarte do miocárdio.

É bom salientar que a doença afeta ambos os sexos e os índices de mortalidade são bastante altos, caso não tratados adequadamente.

Tratamento

Contudo, você não precisa ficar tão preocupado, já que quanto mais cedo descoberta, maior são as chances de cura.

O tratamento dependerá do grau de comprometimento da lesão. Enquanto em alguns casos o médico indica apenas dieta e exercícios, em outros deve-se tomar medicamentos, além de controlar a pressão, a diabetes e a obesidade. 

Já em casos mais graves, o médico poderá indicar um cateterismo cardíaco e, se necessário, deverá realizar uma angioplastia ou uma cirurgia de revascularização do miocárdio.

2019-01-25T09:45:28-03:0025 de janeiro de 2019|Notícias|0 Comentários

VÍDEO: paciente fala sobre os benefícios da espuma no tratamento

A Cardiovascular Mastercenter conta com vários tipos de tratamento para os problemas vasculares, entre eles está a espuma. Confira o que uma de nossas pacientes falou sobre o procedimento e como ele a ajudou numa fase difícil da vida.

Marque já a sua consulta!

Feridas na perna podem ser tratadas dentro da nossa clínica. Conheça a história da Norma e sua mãe.

Publicado por Cardiovascular Mastercenter em Terça-feira, 8 de maio de 2018
2019-01-18T10:23:35-03:0018 de janeiro de 2019|Notícias|0 Comentários

Conheça 3 dicas para os cardiopatas aproveitarem melhor o Verão

Os dias quentes chegaram com tudo em Muriaé e região. Com os termômetros marcando até 37 graus, a estação é um convite à praia, piscina e atividades ao ar livre, contudo, mesmo aliado, o sol também pode ser um vilão, principalmente para quem sofre de doenças cardíacas. Para te ajudar a curtir a estação mais vibrante do ano sem nenhuma complicação é que a Cardiovascular Mastercenter listou 3 dicas importantes para os cardiopatas e hipertensos. Além disso, elas também servem para a população em geral. Confira:

De olho na saúde

Você tem mantido os exames em dia? Isso é importante para não ser pego de surpresa. Todo cardiopata ou hipertenso que apresentar instabilidade deve evitar esforço sob um calor muito alto. O cardiopata deve realizar, periodicamente, avaliação cardiovascular para se assegurar de que sua doença está controlada. Deve ter autorização médica para a prática do exercício, além da orientação de um professor de educação física. É preciso lembrar que o melhor horário para a prática do exercício ao ar livre, sobretudo no verão, é até às 10 horas da manhã e após às 17 horas.

Cuidado com a Dengue

Sabemos que a Dengue é uma das doenças que mais se proliferam no Verão e isso é um perigo a mais para quem sofre de doenças cardíacas. Sabia disso? Além de febre, mal-estar, dor no corpo e fraqueza, a doença provoca, entre outras alterações, distúrbios que podem ser relevantes para pacientes cardiopatas, como a plaquetopenia (queda no número de plaquetas) e mais, raramente, miocardite (inflamação no músculo cardíaco). Mas não fique assustado. Com o acompanhamento adequado, essas alterações podem ser controladas. Porém, no caso dos portadores de doenças coronarianas ou portadores de doenças valvulares, manter a saúde cardíaca, depois de contrair Dengue, já não é tão simples assim. Pacientes com esse perfil costumam tomar antiagregantes, como AAS e aspirina, ou anticoagulantes, como Marevan, principalmente, quando utilizam próteses valvares ou sofrem de arritmias cardíacas específicas, como a fibrilação atrial. O uso de tais medicamentos em pacientes com Dengue acentua o risco de hemorragias, já que a doença compromete diretamente as plaquetas responsáveis pela coagulação sanguínea. Portanto, a ação da dengue associada ao efeito dos remédios diminui bastante o volume plaquetário do sangue, o que pode ocasionar graves sangramentos.

Beba bastante líquido

Na estação mais quente do ano, atenção redobrada a cardiopatas que fazem uso de medicamentos, pois é justamente no calor extremo e no aumento da umidade que cresce a perda de água e sais minerais através da transpiração e da respiração. Por isso, para evitar a desidratação, a melhor saída é ingerir bastante líquido nesta época do ano, principalmente a pacientes de maior faixa etária e que fazem uso de diuréticos. Porém, não pense que cerveja e bebidas alcoólicas estão listadas nesse cardápio. Elas são inimigas do organismo e o consumo em excesso vai fazer você perder mais água, já que são diuréticas. Prefira água, sucos naturais e chás.

E aí, tudo explicadinho? Ficou alguma dúvida? Comente e deixe o seu ponto de vista. Logo mais voltamos a falar sobre o assunto. Até a próxima!

2019-01-11T09:52:44-03:0011 de janeiro de 2019|Notícias|0 Comentários