Arquivos Mensais: agosto 2019

//agosto

Como o doppler venoso pode ajudar no tratamento vascular

O doppler venoso é um exame não invasivo que utiliza ultrassons, de modo a adquirir informações sobre a anatomia, fisilogia e patologia do sistema venoso superficial e profundo dos membros inferiores e superiores (pernas e braços). O procedimento é indicado quando o médico precisa investigar a presença de placas de gordura e o diâmetro das paredes das veias e estreitamento dos vasos. Isso resulta em mais informações sobre o estado do paciente e mais qualidade do tratamento do mesmo.

Por ser facilmente disponível e ter alta probabilidade de somar informações ao diagnóstico, com baixo risco, o doppler atualmente é o melhor e mais utilizado exame complementar no pré-operatório da cirurgia de varizes, sendo, inclusive, utilizado em procedimentos na Cardiovascular Mastercenter.

O doppler mostra as variações de anatomia das veias, além de pontos de início e final de refluxo (informações hemodinâmicas) das mesmas, determinando com precisão segmentos que devem ser abordados na cirurgia e tornando o tratamento muito mais eficiente e preciso. Ele serve como um guia da circulação venosa, registrando os segmentos normais e alterados, definindo quais veias devem ser tratadas pelo cirurgião vascular.

Para os membros inferiores, ele é indicado, principalmente, para o estudo de duas patologias distintas: a insuficiência venosa superficial e/ou profunda e a trombose venosa, também superficial e/ou profunda, grandes vilões da saúde vascular.

Para a realização do exame, não é preciso nenhum tipo de preparo específico, dispensando jejum ou uso de medicações prévias. O doppler não utiliza radiação. É um exame de ultrassonografia dos vasos, onde a energia das ondas sonoras é convertida em imagem e o fluxo do sangue é traduzido em gráfico de velocidade.

Quer saber mais sobre o procedimento? Estamos aqui para responder as suas perguntas. Entre em contato com nossos assistentes pelo telefone (32) 3722-9216 e marque já a sua consulta!

2019-08-29T09:31:02-03:0029 de agosto de 2019|Notícias|0 Comentários

Fatos sobre a trombose que você precisa saber

O que causa a trombose? Quais os tratamentos? Quais cuidados tomar para evitá-la? A Cardiovascular Mastercenter está aqui para te dizer tudo o que você precisa saber sobre a doença. Afinal de contas, existem muitos mitos que precisam ser desfeitos e fatos que você precisa conhecer urgentemente.

Antes de tudo, é importante dizer que a trombose deve ser tratada imediatamente, evitando o avanço da doença. Mas, como descrevê-la? Ela é um quadro crônico que não aparece como as varizes e surge em forma de dor e inchaço, presente apenas em uma perna. Ao constatar qualquer sinal, a orientação é procurar atendimento médico por meio de uma consulta ao cirurgião vascular.

Se não for tratada da forma correta, a trombose pode evoluir para algumas complicações graves. Ela está mais presente em membros inferiores e, se um fragmento desses coágulos se desprender das pernas e ir em direção ao coração, seguido para a circulação pulmonar, pode desenvolver a embolia pulmonar. Esta complicação, que é grave, pode levar à morte. Vale ressaltar que a embolia pulmonar é a terceira principal causa de mortalidade entre as doenças cardiovasculares, atrás do infarto agudo do miocárdio e Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Existem tipos de pessoas que possuem propensão à trombose. Isso é um fato! Estão propensos à trombose pacientes com obesidade, gestantes, mulheres que fazem uso de anticoncepcional ou reposição hormonal, que fizeram cirurgias ortopédicas ou oncológicas e ficam em repouso pós-operatório extenso. Há também os que possuem câncer, que também se encontram no grupo de risco. Pessoas acamadas, com sequelas de AVC e que fazem viagens muito demoradas também podem desenvolver trombose.

Os que desejam mudar hábitos para se proteger da doença devem evitar repousos prolongados e fazer atividade física. Os que possuem histórico na família devem procurar um angiologista para um check-up vascular.

O tratamento é feito à base de medicações anticoagulantes. Se o paciente não fizer o tratamento completo pode evoluir com uma síndrome pós-trombótica, o que pode acarretar varizes e úlceras. Junto ao tratamento, é necessário utilizar meias elásticas, pois elas fazem uma compressão graduada da perna, de modo que facilita o escoamento do sangue na mesma.

Quer saber mais sobre assunto? Tem a doença e precisa de cuidados? Então entre em contato conosco através do telefone (32) 3722-9216. Estamos aqui para ajudar!

2019-08-23T13:09:59-03:0023 de agosto de 2019|Notícias|0 Comentários

Três motivos para você fazer um ECG

Em termos simples, o eletrocardiograma, ou ECG, é um exame que avalia a atividade elétrica do coração a partir de eletrodos fixados na pele. Essa atividade é caracterizada pela variação na quantidade de íons de sódio dentro e fora das células musculares cardíacas. O resultado deste exame é registrado em gráficos que comparam a atividade cardíaca do paciente com o padrão, indicando se a atividade cardíaca está dentro da normalidade ou se há alterações nos músculos e nervos do coração.

Neste artigo, listamos três motivos importantes para que você realize o exame e mantenha a saúde do coração em dia. Afinal de contas, seu amigo do peito merece total atenção, não é mesmo?

Para começar, o exame é capaz de detectar o ritmo do coração e o número de batimentos por minuto. Por isso é usado para identificar arritmias, aumento de cavidades cardíacas, patologias coronarianas, infarto do miocárdio, distúrbios na condução elétrica do órgão, problemas nas válvulas do coração, pericardite, hipertrofia das câmaras cardíacas e doenças que isolam o coração.

Ele Também pode ser indicado para verificar a saúde do coração quando o paciente apresenta outras condições, como: pressão alta; colesterol alto; tabagismo; diabetes e histórico familiar de doença cardíaca precoce.

Conhecido como ECG de repouso ou de superfície, ele é a forma mais comum do exame, simples e indolor, com duração máxima de cinco minutos. Já o ECG de esforço, também conhecido como teste ergométrico é realizado enquanto o paciente executa algum tipo de exercício físico, geralmente em esteira ou na bicicleta. Para a boa realização desse exame, a alimentação do paciente deve ser leve por pelo menos 2 horas antes do exame.

O Holter, também conhecido como monitorização de ECG ambulatorial, funciona da seguinte forma: um dispositivo registra a atividade cardíaca do paciente durante 24 horas.

O exame deve ser executado periodicamente, dependendo da faixa etária e do sexo biológico. Mulheres a partir dos 50 anos e homens a partir dos 40 anos devem fazer o ECG padrão anualmente. A partir dele pode ser recomendado o teste de esforço, caso necessário, como por exemplo para indivíduos que pretendem começar a se exercitar na academia.

O exame também pode ser recomendado caso apareçam alguns desses sintomas: falta de ar; tontura; batimentos cardíacos irregulares ou desmaios.

Para te ajudar, a Cardiovascular Mastercenter conta com uma corpo clínico capacitado, com profissionais experientes. Ligue para o telefone (32) 3722-9216 e marque a sua consulta!

2019-08-16T09:52:34-03:0016 de agosto de 2019|Notícias|0 Comentários

AVC é coisa de gente mais velha? Não é bem assim

Muitas pessoas associam o Acidente Vascular Cerebral, o tão temido AVC a pessoas acima dos 60 anos, porém, não é mais bem dessa forma. Muita gente com pouca idade tem relatado problemas referentes a doença e os casos tem chamado atenção do Ministério da Saúde. De acordo com o órgão, ela é mais comum em pessoas da terceira idade, porém, tem acometido gente cada vez mais nova. Alguns dados coletados entre 2015 a 2017 apontam que 27 mil brasileiros entre 14 e 39 anos tiveram AVC.

O número é alto e preocupante, levando em consideração a faixa etária. Do total de 27 mil, cerca de 3 mil morreram, segundo o Ministério. Os números acendem um sinal amarelo, um alerta para que possamos rastrear e acompanhas os casos nessa faixa etária, não só priorizando pacientes mais velhos.

Mas o que justifica essa alteração? O consumo prematuro de drogas, anabolizantes, bebidas alcoólicas e o sedentarismo podem ser um ponto chave. Essas são as causas mais comuns para o desenvolvimento do AVC isquêmico, por exemplo, que acontece quando há o entupimento de uma artéria, impedindo a passagem de oxigênio para células cerebrais. Essa obstrução pode acontecer devido a um trombo (trombose) ou a um êmbolo (embolia).

Mas, calma, há como se prevenir. Hábitos saudáveis ainda são a melhor forma de se prevenir de um AVC. Manter uma rotina de exercícios e alimentação saudável, além de evitar cigarros, bebidas alcoólicas e outras drogas são algumas das orientações do Ministério da Saúde. Porém, se o AVC está no histórico familiar, é preciso buscar ajuda de um especialista.

Sintomas

Entre os sintomas do AVC estão:

  • Perda repentina da força muscular e/ou da visão;
  • Dormência na face, braço ou perna;
  • Dificuldade de comunicação oral (fala arrastada) e de  compreensão;
  • Tonturas;
  • Formigamento num dos lados do corpo;
  • Alterações da memória.

Algumas vezes, esses sintomas podem ser transitórios – ataque isquêmico transitório (AIT). Nem por isso deixam de exigir cuidados médicos imediatos.

O importante é manter a saúde em dia e realizar check-up esporádico. somos especialistas na sua saúde cardiovascular. Ligue e marque uma consulta: (32) 3722-9216.

2019-08-09T08:21:03-03:009 de agosto de 2019|Notícias|0 Comentários

Sintomas que o coração emite quando necessita de atenção

Com a vida atribulada, a gente as vezes se esquece de ouvir o que o corpo fala e negligencia alguns sintomas importantes que podem sinalizar problemas sérios à saúde.  Mal-estar, cansaço e falta de ar, sentidos com pouca ou muito frequência, são alguns desses sintomas e merecem atenção, já que podem indicar algum problema cardíaco. Para que você fique esperto e não seja pego de surpresa, a Cardiovascular Mastercenter listou algumas sensações que você tem que ficar de olho. Caso elas persistam, o indicado é procurar ajuda médica. Vamos conhecer?

Inchaços pelo corpo

A retenção de líquidos pode ser um alerta de insuficiência cardíaca, já que o inchaço pode ser um sinal de que o coração está sem força para bombear o sangue.

Falta de ar

Dificuldade para respirar, seja parado ou em movimento, requer uma avaliação médica

Cor arroxeada nos lábios

Pode ser um alerta para a existência de cardiopatia congênita, uma anormalidade na estrutura do coração. O problema pode acontecer antes mesmo do nascimento, devido ao uso de drogas e medicamentos pela mãe durante a gravidez, diabetes ou rubéola.

 Tosse noturna

Pode ser um sintoma de que o coração está com dificuldades para trabalhar. Quando estamos com algum problema cardiovascular, o corpo pode enviar um alerta em forma de tosse, pois, ao deitarmos, ocorre um aumento do retorno de sangue para o coração, que aumenta a congestão pulmonar e estimula o ato da tossir.

 Cansaço após esforços pequenos

Angina, insuficiência cardíaca e até arritmia podem ser os problemas que estão por trás do cansaço constante. Quando o coração está fraco ou dilatado, ele não bombeia sangue para o corpo da forma necessária, causando indisposição.

Desconforto no peito 

É o sinal mais comum de perigo para o coração, possivelmente causado por uma artéria bloqueada ou um ataque cardíaco.  O desconforto pode vir sob a forma de dor, aperto ou pressão.  Tem sido descrito como uma sensação de beliscar ou queimação que geralmente dura mais do que alguns minutos.

Dor que se espalha para o braço 

É um sintoma clássico de ataque cardíaco que se irradia pelo lado esquerdo do corpo.  Quando a dor se espalha para a garganta ou mandíbula, também pode estar sinalizando sinais de ataque cardíaco.

Esperamos que tenha gostado das sugestões e se ficou alguma dúvida, marque a sua consulta conosco através do telefone (32) 3722-9216. Nos vemos no próximo artigo!

2019-08-02T09:12:03-03:002 de agosto de 2019|Notícias|0 Comentários