AVC é coisa de gente mais velha? Não é bem assim

//AVC é coisa de gente mais velha? Não é bem assim

AVC é coisa de gente mais velha? Não é bem assim

2019-08-09T08:21:03-03:009 de agosto de 2019|Notícias|0 Comentários

Muitas pessoas associam o Acidente Vascular Cerebral, o tão temido AVC a pessoas acima dos 60 anos, porém, não é mais bem dessa forma. Muita gente com pouca idade tem relatado problemas referentes a doença e os casos tem chamado atenção do Ministério da Saúde. De acordo com o órgão, ela é mais comum em pessoas da terceira idade, porém, tem acometido gente cada vez mais nova. Alguns dados coletados entre 2015 a 2017 apontam que 27 mil brasileiros entre 14 e 39 anos tiveram AVC.

O número é alto e preocupante, levando em consideração a faixa etária. Do total de 27 mil, cerca de 3 mil morreram, segundo o Ministério. Os números acendem um sinal amarelo, um alerta para que possamos rastrear e acompanhas os casos nessa faixa etária, não só priorizando pacientes mais velhos.

Mas o que justifica essa alteração? O consumo prematuro de drogas, anabolizantes, bebidas alcoólicas e o sedentarismo podem ser um ponto chave. Essas são as causas mais comuns para o desenvolvimento do AVC isquêmico, por exemplo, que acontece quando há o entupimento de uma artéria, impedindo a passagem de oxigênio para células cerebrais. Essa obstrução pode acontecer devido a um trombo (trombose) ou a um êmbolo (embolia).

Mas, calma, há como se prevenir. Hábitos saudáveis ainda são a melhor forma de se prevenir de um AVC. Manter uma rotina de exercícios e alimentação saudável, além de evitar cigarros, bebidas alcoólicas e outras drogas são algumas das orientações do Ministério da Saúde. Porém, se o AVC está no histórico familiar, é preciso buscar ajuda de um especialista.

Sintomas

Entre os sintomas do AVC estão:

  • Perda repentina da força muscular e/ou da visão;
  • Dormência na face, braço ou perna;
  • Dificuldade de comunicação oral (fala arrastada) e de  compreensão;
  • Tonturas;
  • Formigamento num dos lados do corpo;
  • Alterações da memória.

Algumas vezes, esses sintomas podem ser transitórios – ataque isquêmico transitório (AIT). Nem por isso deixam de exigir cuidados médicos imediatos.

O importante é manter a saúde em dia e realizar check-up esporádico. somos especialistas na sua saúde cardiovascular. Ligue e marque uma consulta: (32) 3722-9216.

Deixar Um Comentário