Blog

/Blog/
11 10/2019

Dr. Flávio Reis Gouvêa explica como é realizado o tratamento de doenças cardiovasculares

2019-10-11T08:57:18-03:0011 de outubro de 2019|Notícias|0 Comentários

As doenças cardiovasculares são um conjunto de problemas que atingem o coração e os vasos sanguíneos, provocando doenças e graves complicações à saúde da pessoa, como infarto, insuficiência cardíaca, arritmias, AVC ou outros tipos de alterações na circulação de sangue.

Para explicar o tratamento na Cardiovascular Mastercenter, o cirurgião vascular, Dr. Flávio Reis Gouvêa, preparou um vídeo especial mostrando o passo a passo de uma intervenção médica e como a doença atinge o seu organismo.

Quer saber mais sobre o tratamento? Então entre em contato conosco. Nosso telefone é o (32) 3722-9216.

4 10/2019

Cardiologista de Muriaé alerta sobre os problemas do coração em mulheres

2019-10-04T08:12:31-03:004 de outubro de 2019|Notícias|0 Comentários

Após os 50 anos, quando as mulheres entram na menopausa, o risco de doenças cardiovasculares aumenta consideravelmente e de acordo com o Ministério da Saúde, elas já se tornaram a principal causa de morte em mulheres. Porém, o risco de um infarto ou de possuir uma arritmia cardíaca acontece em todas as idades e os sintomas são diferente dos encontrados nos homens. Para explicar a importância dos exames e do acompanhamento médico é que a cardiologista da Cardiovascular Mastercenter, Dra. Mônica Padilha Gouvêa, preparou um especial para que você entenda tudo sobre o assunto.

Contudo, existe um motivo para que esteja aumentando o número de casos em mulheres. Segundo a Dra. Mônica, o sexo feminino não tem percebido os sinais que o corpo tem demonstrado, o que leva a procura pelo médico numa fase onde a doença já está avançada.

A dúvida que é fica é: quando devo procurar então ajuda médica? A Dra. Mônica responde.

A Cardiovascular Mastercenter fica localizada no Marcenter Shopping, segundo andar, sala 201-A, no centro de Muriaé. Para marcar uma consulta, entre em contato conosco pelo telefone (32) 3722-9216.

20 09/2019

Saiba porque fazer o exame de Risco Cardíaco

2019-09-20T09:11:50-03:0020 de setembro de 2019|Notícias|0 Comentários

Um dos pedidos mais comuns feitos pelos cardiologistas  é a avaliação os riscos cardíacos. Sabe por quê? Uma vez que o médico estima o risco de um paciente, ele pode ser capaz de aplicar medidas para diminuir o risco para o paciente e melhorar o resultado da cirurgia.

O principal objetivo do risco cirúrgico  é avaliar o risco de infarto do miocárdio (IAM), insuficiência cardíaca (IC), parada cardíaca ou morte cardíaca, que são as causas mais comuns de morbidade e mortalidade com a cirurgia não cardíaca. A taxa de mortalidade dos pacientes no perioperatório – período de tempo que vai desde que o cirurgião decide indicar a operação e comunica ao paciente até que este último retorne, depois da alta hospitalar, às atividades normais.

O primeiro passo é obter a história médica completa e realizar um detalhado exame físico. Deve ser dada especial atenção para sintomas cardiorrespiratórios, como falta de ar, dor no peito, desmaio, além de ser perguntado sobre medicações em uso, antecedentes cirúrgicos, alergias a medicações ou anestesias e comorbidades que possam interferir no risco do tratamento.

A avaliação normalmente é complementada com a realização de um eletrocardiograma para se afastar infarto, arritmias graves, disfunção miocárdica, além de exames de laboratório. Outros exames complementares podem ser solicitados a depender da avaliação clínica e complementar inicial.

Portanto, a  avaliação pré-operatória tem como objetivo otimizar a condição clínica do paciente candidato a cirurgia com vistas a reduzir a morbidade e a mortalidade perioperatória.

A Cardiovascular Mastercenter realiza os exames e se preocupa com o bem-estar dos seus pacientes. Entre em contato conosco pelo telefone (32) 3722-9216 e faça sua consulta!

13 09/2019

Como o colesterol alto tem afetado a saúde das crianças

2019-09-13T08:51:51-03:0013 de setembro de 2019|Notícias|0 Comentários

Existem doenças que a gente imagina que pertença a um tipo de faixa etária. Doenças cardíacas são algumas delas. Imaginamos que elas atinjam a população acima dos 35 anos e que a partir daí a necessidade de procurar um bom cardiologista seja alta. Porém, isso não é verdade. Cada vez mais crianças e adolescentes tem sofrido com problemas cardíacos e vasculares e isso afeta diretamente a saúde delas.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, cerca de 20% das crianças brasileiras já apresentam colesterol elevado. Os números vêm aumentando nos últimos anos, sendo considerado epidêmico em todo o mundo.

Uma vez que está diretamente associado ao maior risco de infarto e acidente vascular cerebral, o aumento dos níveis de colesterol ou triglicérides no sangue de crianças e adolescentes é preocupante.

Por ser uma doença assintomática nessa faixa etária e com o intuito de prevenir as doenças cardiovasculares quando adulto, os consensos nacionais e internacionais sugerem que a primeira dosagem de colesterol seja feita em toda a criança entre 9 e 11 anos. Em crianças com obesidade, diabetes, problemas renais ou autoimunes, assim como naquelas com histórico familiar de doença cardiovascular precoce (antes dos 50 anos), se recomenda que os exames de colesterol sejam feitos a partir dos 2 anos de idade.

Vale lembrar que o colesterol é um tipo de gordura produzida no corpo humano que, em quantidades adequadas, é necessário para a manutenção da saúde. Chama-se aterosclerose as placas de gordura depositadas nos vasos sanguíneos quando o colesterol está acima do desejado.

Hábitos saudáveis são a melhor forma de controlar o colesterol. Dieta pobre em gorduras saturadas e ricas em fibras e ômega 3 é a ideal. As gorduras saturadas são encontradas em carnes vermelhas, leites integrais, óleos, bolachas recheadas, sorvetes e salgadinhos industrializados, por exemplo. Já as fibras estão presentes em frutas, verduras e grãos. O ômega 3 é adquirido através dos peixes – mas não dos frutos do mar, que são muito ricos em colesterol -, sementes e cereais, como a aveia, farelo de trigo e castanhas.

Toda criança deve praticar atividades físicas regulares, de preferência aeróbicas. Atenção: só as aulas de educação física não são suficientes, recomenda-se exercícios com uma hora de duração pelo menos três vezes por semana, além daquelas oferecidas diariamente nas escolas.

O tratamento medicamentoso é indicado, sob orientação médica, para adolescentes acima de dez anos com níveis de colesterol considerados de risco e que não responderam adequadamente à dieta e atividade física recomendada.

29 08/2019

Como o doppler venoso pode ajudar no tratamento vascular

2019-08-29T09:31:02-03:0029 de agosto de 2019|Notícias|0 Comentários

O doppler venoso é um exame não invasivo que utiliza ultrassons, de modo a adquirir informações sobre a anatomia, fisilogia e patologia do sistema venoso superficial e profundo dos membros inferiores e superiores (pernas e braços). O procedimento é indicado quando o médico precisa investigar a presença de placas de gordura e o diâmetro das paredes das veias e estreitamento dos vasos. Isso resulta em mais informações sobre o estado do paciente e mais qualidade do tratamento do mesmo.

Por ser facilmente disponível e ter alta probabilidade de somar informações ao diagnóstico, com baixo risco, o doppler atualmente é o melhor e mais utilizado exame complementar no pré-operatório da cirurgia de varizes, sendo, inclusive, utilizado em procedimentos na Cardiovascular Mastercenter.

O doppler mostra as variações de anatomia das veias, além de pontos de início e final de refluxo (informações hemodinâmicas) das mesmas, determinando com precisão segmentos que devem ser abordados na cirurgia e tornando o tratamento muito mais eficiente e preciso. Ele serve como um guia da circulação venosa, registrando os segmentos normais e alterados, definindo quais veias devem ser tratadas pelo cirurgião vascular.

Para os membros inferiores, ele é indicado, principalmente, para o estudo de duas patologias distintas: a insuficiência venosa superficial e/ou profunda e a trombose venosa, também superficial e/ou profunda, grandes vilões da saúde vascular.

Para a realização do exame, não é preciso nenhum tipo de preparo específico, dispensando jejum ou uso de medicações prévias. O doppler não utiliza radiação. É um exame de ultrassonografia dos vasos, onde a energia das ondas sonoras é convertida em imagem e o fluxo do sangue é traduzido em gráfico de velocidade.

Quer saber mais sobre o procedimento? Estamos aqui para responder as suas perguntas. Entre em contato com nossos assistentes pelo telefone (32) 3722-9216 e marque já a sua consulta!

23 08/2019

Fatos sobre a trombose que você precisa saber

2019-08-23T13:09:59-03:0023 de agosto de 2019|Notícias|0 Comentários

O que causa a trombose? Quais os tratamentos? Quais cuidados tomar para evitá-la? A Cardiovascular Mastercenter está aqui para te dizer tudo o que você precisa saber sobre a doença. Afinal de contas, existem muitos mitos que precisam ser desfeitos e fatos que você precisa conhecer urgentemente.

Antes de tudo, é importante dizer que a trombose deve ser tratada imediatamente, evitando o avanço da doença. Mas, como descrevê-la? Ela é um quadro crônico que não aparece como as varizes e surge em forma de dor e inchaço, presente apenas em uma perna. Ao constatar qualquer sinal, a orientação é procurar atendimento médico por meio de uma consulta ao cirurgião vascular.

Se não for tratada da forma correta, a trombose pode evoluir para algumas complicações graves. Ela está mais presente em membros inferiores e, se um fragmento desses coágulos se desprender das pernas e ir em direção ao coração, seguido para a circulação pulmonar, pode desenvolver a embolia pulmonar. Esta complicação, que é grave, pode levar à morte. Vale ressaltar que a embolia pulmonar é a terceira principal causa de mortalidade entre as doenças cardiovasculares, atrás do infarto agudo do miocárdio e Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Existem tipos de pessoas que possuem propensão à trombose. Isso é um fato! Estão propensos à trombose pacientes com obesidade, gestantes, mulheres que fazem uso de anticoncepcional ou reposição hormonal, que fizeram cirurgias ortopédicas ou oncológicas e ficam em repouso pós-operatório extenso. Há também os que possuem câncer, que também se encontram no grupo de risco. Pessoas acamadas, com sequelas de AVC e que fazem viagens muito demoradas também podem desenvolver trombose.

Os que desejam mudar hábitos para se proteger da doença devem evitar repousos prolongados e fazer atividade física. Os que possuem histórico na família devem procurar um angiologista para um check-up vascular.

O tratamento é feito à base de medicações anticoagulantes. Se o paciente não fizer o tratamento completo pode evoluir com uma síndrome pós-trombótica, o que pode acarretar varizes e úlceras. Junto ao tratamento, é necessário utilizar meias elásticas, pois elas fazem uma compressão graduada da perna, de modo que facilita o escoamento do sangue na mesma.

Quer saber mais sobre assunto? Tem a doença e precisa de cuidados? Então entre em contato conosco através do telefone (32) 3722-9216. Estamos aqui para ajudar!

16 08/2019

Três motivos para você fazer um ECG

2019-08-16T09:52:34-03:0016 de agosto de 2019|Notícias|0 Comentários

Em termos simples, o eletrocardiograma, ou ECG, é um exame que avalia a atividade elétrica do coração a partir de eletrodos fixados na pele. Essa atividade é caracterizada pela variação na quantidade de íons de sódio dentro e fora das células musculares cardíacas. O resultado deste exame é registrado em gráficos que comparam a atividade cardíaca do paciente com o padrão, indicando se a atividade cardíaca está dentro da normalidade ou se há alterações nos músculos e nervos do coração.

Neste artigo, listamos três motivos importantes para que você realize o exame e mantenha a saúde do coração em dia. Afinal de contas, seu amigo do peito merece total atenção, não é mesmo?

Para começar, o exame é capaz de detectar o ritmo do coração e o número de batimentos por minuto. Por isso é usado para identificar arritmias, aumento de cavidades cardíacas, patologias coronarianas, infarto do miocárdio, distúrbios na condução elétrica do órgão, problemas nas válvulas do coração, pericardite, hipertrofia das câmaras cardíacas e doenças que isolam o coração.

Ele Também pode ser indicado para verificar a saúde do coração quando o paciente apresenta outras condições, como: pressão alta; colesterol alto; tabagismo; diabetes e histórico familiar de doença cardíaca precoce.

Conhecido como ECG de repouso ou de superfície, ele é a forma mais comum do exame, simples e indolor, com duração máxima de cinco minutos. Já o ECG de esforço, também conhecido como teste ergométrico é realizado enquanto o paciente executa algum tipo de exercício físico, geralmente em esteira ou na bicicleta. Para a boa realização desse exame, a alimentação do paciente deve ser leve por pelo menos 2 horas antes do exame.

O Holter, também conhecido como monitorização de ECG ambulatorial, funciona da seguinte forma: um dispositivo registra a atividade cardíaca do paciente durante 24 horas.

O exame deve ser executado periodicamente, dependendo da faixa etária e do sexo biológico. Mulheres a partir dos 50 anos e homens a partir dos 40 anos devem fazer o ECG padrão anualmente. A partir dele pode ser recomendado o teste de esforço, caso necessário, como por exemplo para indivíduos que pretendem começar a se exercitar na academia.

O exame também pode ser recomendado caso apareçam alguns desses sintomas: falta de ar; tontura; batimentos cardíacos irregulares ou desmaios.

Para te ajudar, a Cardiovascular Mastercenter conta com uma corpo clínico capacitado, com profissionais experientes. Ligue para o telefone (32) 3722-9216 e marque a sua consulta!

9 08/2019

AVC é coisa de gente mais velha? Não é bem assim

2019-08-09T08:21:03-03:009 de agosto de 2019|Notícias|0 Comentários

Muitas pessoas associam o Acidente Vascular Cerebral, o tão temido AVC a pessoas acima dos 60 anos, porém, não é mais bem dessa forma. Muita gente com pouca idade tem relatado problemas referentes a doença e os casos tem chamado atenção do Ministério da Saúde. De acordo com o órgão, ela é mais comum em pessoas da terceira idade, porém, tem acometido gente cada vez mais nova. Alguns dados coletados entre 2015 a 2017 apontam que 27 mil brasileiros entre 14 e 39 anos tiveram AVC.

O número é alto e preocupante, levando em consideração a faixa etária. Do total de 27 mil, cerca de 3 mil morreram, segundo o Ministério. Os números acendem um sinal amarelo, um alerta para que possamos rastrear e acompanhas os casos nessa faixa etária, não só priorizando pacientes mais velhos.

Mas o que justifica essa alteração? O consumo prematuro de drogas, anabolizantes, bebidas alcoólicas e o sedentarismo podem ser um ponto chave. Essas são as causas mais comuns para o desenvolvimento do AVC isquêmico, por exemplo, que acontece quando há o entupimento de uma artéria, impedindo a passagem de oxigênio para células cerebrais. Essa obstrução pode acontecer devido a um trombo (trombose) ou a um êmbolo (embolia).

Mas, calma, há como se prevenir. Hábitos saudáveis ainda são a melhor forma de se prevenir de um AVC. Manter uma rotina de exercícios e alimentação saudável, além de evitar cigarros, bebidas alcoólicas e outras drogas são algumas das orientações do Ministério da Saúde. Porém, se o AVC está no histórico familiar, é preciso buscar ajuda de um especialista.

Sintomas

Entre os sintomas do AVC estão:

  • Perda repentina da força muscular e/ou da visão;
  • Dormência na face, braço ou perna;
  • Dificuldade de comunicação oral (fala arrastada) e de  compreensão;
  • Tonturas;
  • Formigamento num dos lados do corpo;
  • Alterações da memória.

Algumas vezes, esses sintomas podem ser transitórios – ataque isquêmico transitório (AIT). Nem por isso deixam de exigir cuidados médicos imediatos.

O importante é manter a saúde em dia e realizar check-up esporádico. somos especialistas na sua saúde cardiovascular. Ligue e marque uma consulta: (32) 3722-9216.

2 08/2019

Sintomas que o coração emite quando necessita de atenção

2019-08-02T09:12:03-03:002 de agosto de 2019|Notícias|0 Comentários

Com a vida atribulada, a gente as vezes se esquece de ouvir o que o corpo fala e negligencia alguns sintomas importantes que podem sinalizar problemas sérios à saúde.  Mal-estar, cansaço e falta de ar, sentidos com pouca ou muito frequência, são alguns desses sintomas e merecem atenção, já que podem indicar algum problema cardíaco. Para que você fique esperto e não seja pego de surpresa, a Cardiovascular Mastercenter listou algumas sensações que você tem que ficar de olho. Caso elas persistam, o indicado é procurar ajuda médica. Vamos conhecer?

Inchaços pelo corpo

A retenção de líquidos pode ser um alerta de insuficiência cardíaca, já que o inchaço pode ser um sinal de que o coração está sem força para bombear o sangue.

Falta de ar

Dificuldade para respirar, seja parado ou em movimento, requer uma avaliação médica

Cor arroxeada nos lábios

Pode ser um alerta para a existência de cardiopatia congênita, uma anormalidade na estrutura do coração. O problema pode acontecer antes mesmo do nascimento, devido ao uso de drogas e medicamentos pela mãe durante a gravidez, diabetes ou rubéola.

 Tosse noturna

Pode ser um sintoma de que o coração está com dificuldades para trabalhar. Quando estamos com algum problema cardiovascular, o corpo pode enviar um alerta em forma de tosse, pois, ao deitarmos, ocorre um aumento do retorno de sangue para o coração, que aumenta a congestão pulmonar e estimula o ato da tossir.

 Cansaço após esforços pequenos

Angina, insuficiência cardíaca e até arritmia podem ser os problemas que estão por trás do cansaço constante. Quando o coração está fraco ou dilatado, ele não bombeia sangue para o corpo da forma necessária, causando indisposição.

Desconforto no peito 

É o sinal mais comum de perigo para o coração, possivelmente causado por uma artéria bloqueada ou um ataque cardíaco.  O desconforto pode vir sob a forma de dor, aperto ou pressão.  Tem sido descrito como uma sensação de beliscar ou queimação que geralmente dura mais do que alguns minutos.

Dor que se espalha para o braço 

É um sintoma clássico de ataque cardíaco que se irradia pelo lado esquerdo do corpo.  Quando a dor se espalha para a garganta ou mandíbula, também pode estar sinalizando sinais de ataque cardíaco.

Esperamos que tenha gostado das sugestões e se ficou alguma dúvida, marque a sua consulta conosco através do telefone (32) 3722-9216. Nos vemos no próximo artigo!

26 07/2019

Dr. Flávio responde 6 dúvidas comuns sobre as varizes

2019-07-26T08:48:55-03:0026 de julho de 2019|Notícias|0 Comentários

Você acompanha as redes sociais da Cardiovascular Mastercenter? Se sim, já deve ter percebido que temos elaborado uma série com o cirurgião vascular, Dr. Flávio Reis Gouvêa, que responde as principais dúvidas sobre as varizes. Para esclarecer toda a população, separamos seis das principais dúvidas que os pacientes possuem e que o Dr. Flávio respondeu.

Varizes são só um problema estético?

Os famosos “vasinhos”, que parecem teias de aranha sob a pele são um problema estético que não apresentam sintomas. Mas inevitavelmente quem tem “vasinhos” vai ter varizes e quando não tratadas, podem se tornar doenças como a tromboses, podem escurecer da pele, causar eczemas, hemorragias e úlceras varicosas – problemas que quase sempre são de difícil controle.

Quem tem varizes pode ter uma maior tendência a trombose?

Como explicamos anteriormente, existe um risco maior, sim, de desenvolver trombose (coágulos). Podem ser superficiais ou profunda. Esses coágulos bloqueiam a passagem do sangue, causando a insuficiência venosa – fator de risco para o acúmulo de trombo, bem como a ocorrência de trombose pode predispor as varizes.

A cirurgia é o único tratamento contra as varizes?

Hoje vejo uma tendência de resolver a grande maioria dos problemas de varizes no consultório, sem cortes, sem anestesia na coluna, com retorno ao trabalho e as atividades físicas rapidamente. O cirurgião vascular moderno deve dominar todas as técnicas e tecnologias como o laser tzansdérmico, endolaser, as espumas, o clacs e ampliada, levando assim conforto, segurança e um benefício inestimável aos seus pacientes.

Usar salto alto provoca varizes?

Nenhum estudo até hoje confirmou que o uso de salto alto causa varizes. A questão é que andar sempre na ponta dos pés deixa o músculo da panturrilha imobilizado e sem os movimentos de contração e relaxamento necessários durante a caminhada dos pés no chão. Então, o hábito agrava os sintomas, apesar de não ser a causa deles.

Inchaço nas pernas no fim do dia pode ser um sintoma grave?

Dentro das veias existem pequenas válvulas que ajudam a levar o sangue para o coração. Quando elas não funcionam direito, a circulação se compromete e o sangue se acumula nas pernas devido a ação da gravidade, levando ao inchaço, sensação de peso, queimação ou coceira.

Usar roupa apertada pode agravar o problema?

Cintas apertadas para afinar a cintura, por exemplo, aumentam a pressão abdominal prejudicando a drenagem das pernas, podendo agravar os problema vascular.

E então, anotou todas as dicas? Se tiver alguma dúvida, envie-nos através das nossas redes sociais que incluiremos no nosso especial.

Para marcar sua consulta, entre em contato com a Cardiovascular Mastercenter através do telefone (32) 3722-9216.


Carregar mais postagens